Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

22/02/2018

# Entrevista com a autora Beatriz Cortes

Oi, galerinha!

Este mês eu tive a honra de conhecer a escrita da autora Beatriz Cortes e me apaixonar pela Ester e pelo Bruno, através de seu livro Aonde quer que eu vá, cedido em parceria com a LC - Agência de Comunicação.

Foi também, graças a essa parceria maravilhosa, que eu pude entrevistar a Beatriz e hoje trago um pouquinho do nosso bate-papo para vocês. Vamos conferir?

Álbum de Leitura: A música “Aonde quer que eu vá”, dos Paralamas do Sucesso é o tema do casal Ester e Bruno e também o título do livro. Por que essa escolha? Tem alguma relação direta com a banda?
Beatriz Cortes: Eu escutei essa música após escrever o primeiro capítulo de Aonde quer que eu vá (que, na época, não tinha título ainda). Apesar de já ter a ouvido outras vezes, nesse momento pensei que, talvez, essa poderia ser a trilha sonora perfeita de Ester e Bruno. E de uma forma bem espontânea a música foi narrando a história deles dois.

AL: Como psicóloga, você certamente já ouviu muitas histórias e ajudou na reabilitação de seus pacientes. A história de Ester foi inspirada em algum deles?
BC: Não. O drama de Ester e seu sofrimento com o transtorno do pânico foi inspirado em uma de minhas amigas, que passava por algo bem difícil na época. Achei que seria interessante falar sobre o assunto.

AL: Após finalizar a leitura de seu livro, pude perceber que seu estilo de escrita é bastante semelhante com o das autoras Jojo Moyes, Ka Hancock e Ana Beatriz Brandão. Você, de fato, as têm como referência?
BC: Gosto muito das autoras citadas, mas minhas maiores referências são Samanta Holtz e Nicholas Sparks.


AL: O que lhe motivou a escrever esse livro? Qual foi a mensagem que você quis passar aos seus leitores quando decidiu escrever “Aonde quer que eu vá”?
BC: Quis levá-los a uma reflexão sobre a vida, sobre suas prioridades e seus sonhos. E, principalmente, quis passar a mensagem que, não importa o que aconteça, não importa a dor, o sofrimento, as perdas, nossa maior virtude é a resiliência. É a superação. “Tudo ao nosso redor nos transforma, mesmo que a gente não perceba”. E essa transformação é necessária e interessante, desde que a gente saiba utilizá-la para crescer.

AL: Se você pudesse resumir a história de Ester e Bruno em uma frase, qual seria?
BC: Uma história onde o amor foi capaz de superar qualquer distância e até dores inimagináveis. Somos capazes de superar tudo em amor, o importante é não desistir.

AL: Você retratou muito bem a pressão psicológica que os atletas sofrem em competições mundiais. Apesar de serem esportes diferentes, você acha que a situação vivenciada pela seleção brasileira de futebol na copa de 2014 ao perder de 7x1 para a Alemanha foi semelhante à de Ester ao decepcionar uma nação inteira? Qual a sua dica para lidar com esse sentimento de fracasso?
BC: Exatamente. Os atletas sofrem todo o tipo de pressão e essa “pressão mundial” em um momento em que todos estão aguardando algum resultado deles é extremamente desafiadora. Superar o fracasso não é impossível, mas lidar com ele não é fácil. Minha dica é que esses grandes atletas sejam realmente cuidados psicologicamente tanto quanto são fisicamente. O corpo é importante, mas a mente também é. Sem ela não vamos a lugar algum. O sofrimento frente ao fracasso é do tamanho da expectativa que se cria.


AL: Já ouvi dizer que, mesmo contra nossa vontade, algumas perdas são extremamente necessárias. Você acredita que, se a Ester não tivesse passado por tudo o que passou nos 16 anos em que acontece a história do livro, ela teria tido a oportunidade de crescer tanto como ser humano?
BC: Acho que as mudanças que passamos durante nossa vida, assim como todos os acontecimentos, moldam nosso caráter e nos torna quem somos. Acredito que tudo o que Ester passou foi importante na construção de quem ela é. Mas, acredito mais ainda que como ela reagiu a esses acontecimentos, suas atitudes frente ao sofrimento, sua resiliência, foi de um valor ainda maior.

AL: É possível que haja um livro em que saibamos qual foi o rumo da história dessa querida ginasta depois da abertura das Olimpíadas de 2016, no Brasil? Ou você acha que é melhor que essa possível “continuação” fique a critério da imaginação de cada leitor?
BC: Bom, por enquanto, não tenho nenhuma ideia para um novo livro com a continuação dessa história. Acho que Ester me ensinou bastante sobre a vida e vivemos momentos incríveis de aprendizado. Mas, nunca digo nunca para os livros rsrs

AL: O meu livro “queridinho do momento”, sem dúvida, é “Aonde quer que eu vá”. E o seu, qual é?
BC: O lado feio do amor - Colleen Hoover

AL: Como começou o gosto pela leitura? O incentivo maior veio de casa ou da escola?
BC: Da escola, com certeza. Minha família não é muito assídua com a literatura, nunca foi. Meus professores foram incríveis durante toda a minha vida, então, me apaixonei pelos livros ao ver a paixão deles.

AL: Você pretendia se tornar escritora ou tudo aconteceu por acaso?
BC: Foi bem por acaso. Nunca me imaginei escritora, sempre gostei de ler, mas não me via em uma profissão assim. Sempre quis ajudar as pessoas de alguma forma, e encontrei isso na psicologia. Porém, a literatura é meu primeiro amor. Acredito que minhas palavras podem mudar a vida de muitos, mesmo que eu nunca esteja lá pessoalmente. Hoje não consigo me ver fazendo outra coisa.

AL: Tem muitos projetos pela frente?
BC: Meu livro novo, Meu doce azar, sai em abril. E até o final do ano terei outras novidades!

AL: Pretende participar da Bienal de São Paulo este ano? Se sim, já consegue nos adiantar em quais dias estará presente?
BC: Com certeza estarei em São Paulo. Ainda não tenho os dias oficiais, mas assim que tiver estarei divulgando.

AL: Se você pudesse ser um personagem de livro que você já leu, qual seria?
BC: Amelie Wood – Quero ser Beth Levitt (Samanta Holtz)

AL: E se tivesse que indicar aos leitores do blog um livro que você leu e se identificou bastante, qual seria o seu escolhido?
BC: É difícil escolher um só, mas vamos lá rsrs. Madame Bovary – Gustave Flaubert

Agradeço de coração pelo carinho! O blog sempre estará de portas abertas para você ;)

E aí, gostaram? Comentem!
Beijos!


20/02/2018

# Parceria com a Editora Sekhmet

Oi, pessoal!


É com imensa alegria que anuncio que agora o blog também é parceiro da Editora Sekhmet! Vamos conhecê-la um pouco melhor?



Uma editora jovem e animada, focada em tiragens pequenas e na literatura nacional. 
Nossa editora tem como objetivo, além de uma boa edição, que a literatura seja mais acessível e que os escritores tenham seu trabalho reconhecido. Para que isso seja possível, oferecemos para quem desejar lançar um livro pela Editora Sekhmet os serviços desde a capa, revisão e diagramação até o preço final para o leitor.

Alguns livros publicados pela Sekhmet:


R$ 16,00 - Preço com frete incluso.
Link de compra: https://pag.ae/bkn1plp


Imagine uma princesa linda...
Graciosa...
Encantadora...
Caprichosa...
Agora imagine uma que passe longe de tudo isso.
Imaginou?

Pois é, essa é Sigrid, a habitante mais famosa do pequeno reino de Esker que, ao lado de sua fiel escudeira, Filó, vai aprontar uma verdadeira confusão real. 


R$ 16,00 + Frete fixo R$ 4,00

Sabe aquela velhinha rabugenta? Ou talvez o vendedor de pipoca da pracinha? E se eles fossem assassinos, monstros, até mesmo serial killers? 

Conheça os monstros e assassinos mais burros e desastrados da história. Esses crimes seriam trágicos... Se não fossem cômicos.

Com esse vilões, certamente você vai morrer... De tanto rir!

Gostaram da novidade?
Fiquem ligados que logo trago maiores novidades!

Beijos!


18/02/2018

# Parceria com o autor Paulo Henrique Bragança

Olá, galera!

É com imensa satisfação e honra que anuncio que o blog fechou mais uma parceria, desta vez com o autor nacional, Paulo Henrique Bragança.

Vamos conhecer um pouquinho mais do autor e de suas obras?




Paulo Henrique Bragança tem 23 anos e mora em algum lugar em Minas Gerais com sua esposa, seus gatos e sua filha de quatro patas, chamada Lyra. Autor dos livros: Lexus – O Despertar da Escuridão e Quando Ela Voltar, além de alguns contos.

ONDE ME ENCONTRAR: FACEBOOK





As obras:

LEXUS – O DESPERTAR DA ESCURIDÃO, ED. ARWEN, 2016
Sinopse: Na cidade de Campos Elíseos, onde todas as condições de vida eram ideais, houve uma catástrofe de proporções inimagináveis. Tomados pelo terror, a verdadeira face da humanidade se revela — fria e cruel.

Bianca, uma adolescente comum, jamais imaginaria que faria parte da história. Jamais iria supor que ela seria a esperança para a cura da raça humana. Numa aventura cheia de perdas e de descobertas, só existe um objetivo: sobreviver.

SKOOB                                                                         
ONDE COMPRAR: AMAZON




QUANDO ELA VOLTAR, 2018
Sinopse: A vida de Marina não é nada fácil. Levantar da cama e enfrentar o dia é sempre uma luta diária. A escola é um verdadeiro inferno, seu lar é uma casa de horrores e tortura. A situação começa a mudar quando um novo aluno chega ao colégio.

Mas se você está pensando que é só mais uma história de amor está muito enganado. O terror clássico toma conta das páginas e a vida de todos corre perigo neste thriller alucinante.

ONDE COMPRAR: AMAZON


Gostaram da novidade? Fiquem de olho aqui no blog, que logo tem resenha!


17/02/2018

# Caixinha de Correio - Mês de Janeiro

Oi, gente!

Hoje eu trago algumas novidades que eu recebi pelo correio no mês de janeiro.

Para começar bem o mês, recebi o livro Anjo Russo em parceria com a LC - Agência de Comunicação. Confira a resenha clicando aqui.


Também recebi o livro Os Bordados da Vovó, em parceria com a Editora do Brasil. Para ler a resenha, clique aqui.


E recebi um livro também da Aleska Lemos do blog Aventureiras Literárias ❤ e estou bem curiosa para iniciar a leitura!


E é isso, galera! Gostaram? Vocês também receberam alguma coisa pelo correio no mês de janeiro? Comentem, quero saber de tudo, viu?!

Beijos!


15/02/2018

# Dica de Leitura # 132

Título: Aonde quer que eu vá
Autora: Beatriz Cortes
Número de páginas: 318
Ano: 2016
Editora: Novo Século

* Exemplar cedido em parceria com a LC - Agência de Comunicação.

Ester é uma ginasta de 20 anos que está prestes a realizar seu grande sonho: participar das Olimpíadas de Sydney, na Austrália, em 2000. Os treinos são intensos e sua vida se resume a treinar várias horas por dia e ainda ter de aguentar as exigências e a rigidez de sua treinadora, Alexandra. Apesar disso, ela compreende toda essa pressão, afinal, não está em jogo apenas o seu sonho, mas sim, o sonho de uma nação inteira!
"A ginástica me fazia viver emoções que eu duvidava que viveria de outra forma. Não precisava estar treinando para sentir toda aquela adrenalina percorrer minhas veias. Era um amor que havia nascido comigo. E tinha certeza que só morreria quando chegasse minha hora de ir junto."
"Eu estava prestes a realizar um sonho. Encontrava-me tão perto que tudo parecia surreal. E não era apenas o meu sonho. Era o sonho do Brasil inteiro diluído no meu. Isso era ao mesmo tempo incentivador e completamente assustador." 

Suas duas melhores amigas, Isabela e Gabriela, também fazem parte da equipe, mas um acidente grave no meio do treino tira Gabi da competição e ela é substituída por Ester. Agora, nossa protagonista tem dupla responsabilidade e irá representar o Brasil em duas categorias: a trave e o solo. Sentindo-se mais pressionada, insegura e com medo, recebe a notícia de que sua avó materna adoeceu, o que impede que seus pais a acompanhem na disputa mundial. Ah, como eles farão falta! Mas a companhia de Isabela fará com que ela se sinta menos sozinha...

Logo na primeira noite, hospedadas em um hotel de luxo exclusivo para a equipe da delegação, as duas amigas são convidadas por outras atletas (inclusive o nome de uma delas é Milena, o que me deixou muito feliz, já que é tão difícil ver meu nome em um livro rsrs) a participar de um baile de máscaras, que ocorreria na Vila Olímpica. Mesmo apreensiva com a proibição de Alexandra e nervosa com a aproximação das competições, Ester dá o braço a torcer e é convencida pelas outras meninas a aproveitar a noite. O que jamais passou pela sua cabeça era que conheceria Bruno, uma pessoa que mexeria com seus sentimentos de uma maneira que ela sequer poderia imaginar. 
"Muitas coisas não ditas são eternizadas."

"Eu tinha certeza de que era ele. Tinha certeza de que era com ele que eu deveria estar."
A aproximação do rapaz de olhos verde-água, após uma intensa troca de olhares, fez o coração de Ester bater descompassado. E quando toca a primeira música brasileira da noite, "Aonde quer que eu vá", dos Paralamas do Sucesso, os dois acabam dançando juntos. Os sentimentos e o encantamento que um desperta no outro nas poucas horas que passaram lado a lado é algo que ainda não fora vivenciado com tamanha intensidade por nenhum deles. Mas Bruno precisa voltar para o Brasil, afinal, ele e a irmã, Mia, foram para a Austrália apenas acompanhar Guilherme, seu irmão mais novo e ginasta, e Ester precisa estar focada na competição para garantir uma medalha de ouro.
"Se isso era algo do destino ou não, eu não fazia a menor ideia. A única coisa que tive naquele momento foi a certeza de que ele me fazia bem."
"Havia descoberto algo para amar mais ainda do que a ginástica na minha vida." 
"Quando se acredita firmemente em um sonho, ele pode sim se tornar real. Nada melhor para concretizá-lo do que a persistência."

Os dias passam e iniciam as competições. Ester perde na trave na semifinal, mas é classificada para a final do solo. A pressão e os treinos se intensificam e a protagonista se vê refém diante dos acontecimentos e de seus próprios sentimentos. O pior acontece e ela volta às pressas para o Brasil, dando início a um período conturbado e extremamente difícil, mas também repleto de transformações e realizações provocadas por um reencontro inesperado.
"Eu não sei como, não sei por que e muito menos quando isso aconteceu. Mas a única coisa que sei é que amo você, Ester, desde o primeiro momento em que te vi. E eu não vou te perder novamente."
"Não há nada melhor no mundo do que a sensação de ter por perto quem você ama."

Os primeiros capítulos são narrados apenas sob a ótica de Ester, porém, de certo momento em diante, a narrativa divide-se também, entre as perspectivas de Bruno e de Isabela, enriquecendo a trama com novas informações.

Iniciado em 2000 e com um desfecho incrivelmente maravilhoso no ano de 2016, quando as Olimpíadas aconteceram em terras brasileiras, vamos acompanhando os personagens ao longo destes anos, compartilhando os mesmos sentimentos e nos sentimos com o coração aquecido ao perceber que o amor é o elo que liga tudo.

Os lugares escolhidos para ambientar a história foram muito bem explorados, assim como os personagens. A leitura vai acontecendo de forma que parecia que tudo aquilo era real e eu também fazia parte da história. Outro aspecto positivo é que a autora se preocupou em explicar termos técnicos para os leitores que, assim como eu, não entendem muito do universo da ginástica olímpica.

É possível perceber a sensibilidade a cada página. O livro foi escrito na medida certa e só consegui largá-lo depois de ler a última página e, para enxugar as lágrimas que, foram muitas, só para constar. Tem como tema de fundo o amor, a superação, a persistência, o destino e seus reveses, o recomeço, a esperança e grandes lições. Afinal, "não há tempestade que dure para sempre. Mais cedo ou mais tarde, o sol volta a brilhar."

A escrita da Beatriz é uma mistura de Jojo Moyes, Ka Hancock e Ana Beatriz Brandão. Com esse comentário, acredito que ficou bem evidente que Aonde quer que eu vá se tornou um dos meus livros favoritos e o meu "queridinho do momento". Não tem como não se apaixonar, sério! Fico extremamente agradecida à autora, à editora e à LC - Agência de Comunicação por compartilhar essa história tão maravilhosa! Foi, sem dúvida, o melhor livro de 2018 até o momento. Só vai ser difícil sair dessa ressaca literária... Jamais me esquecerei de Ester e Bruno. Eles estarão para sempre no meu coração. Beatriz Cortes, você já tem uma nova fã!
"Sempre haverá uma nova história onde quer que haja amor."



CLASSIFICAÇÃO: 


ÓTIMO!



13/02/2018

# Resumo do mês de janeiro

E aí, pessoal?
Tudo certinho?

Hoje eu venho compartilhar com vocês quais foram as leituras que fiz no mês de janeiro.


- Harry Potter e a Pedra Filosofal: (Resenha)
- 32 Cartas: (Resenha)
- A gente dá certo: (Resenha)
- Anjo Russo: (Resenha)
- Os Bordados da Vovó: (Resenha)
- Escritores Malditos.

32 Cartas e Anjo Russo fazem parte do Desafio 12 Meses Literários, o primeiro referente ao mês de janeiro e o segundo ao mês de fevereiro. A ideia é ler um livro por mês de acordo com os temas pré-definidos. Mas como recebi ambos de parceria e estava com tempo de sobra, resolvi ler os dois em janeiro hehehe Afinal, o mais importante de tudo é ler, né gente?

Confira uma foto dos meus fofinhos juntos hehe


E aí, galera? Já leram algum deles? Comentem, quero saber!

Beijos!